CARTA DE ARTAXERXES A ESDRAS

Por Daniel Santos


"Artaxerxes, rei dos reis, "Ao sacerdote Esdras, escriba da Lei do Deus dos céus: "Paz e prosperidade! Esdras 7:12

O Deus que inspirou o decreto de Ciro, o Grande, rei da Pérsia registrado em Esdras 1 (que tomou a Babilônia em 538 a.C.); que contribuiu com a pesquisa de Dario l, no capítulo 6 de Esdras  (governador da Babilônia em 522-486 a.C.); que permitiu o amor de Xerxes, narrado no livro de Ester capítulo 2 (marido de Ester), que é o mesmo Assuero (486-465 a.C), é o mesmo Deus que falou ao coração de Artaxerxes Longímanus (465-424 A.C.), no capítulo 7 de Esdras.

Trabalharemos nesta carta, extraindo delas, apenas, seis principais aspectos que o rei julgou ser importantes para que haja um culto ao Deus dos céus;

VERSO 13 RELAÇÃO INTERPESSOAL

"Estou decretando que qualquer israelita em meu reino, inclusive sacerdotes e levitas, que desejar ir a Jerusalém com você, poderá fazê-lo".

Para que se tenha sacro-ofícios aceitos por Deus é imprescindível o bom convívio, a mentalidade de corpo e a disposição (desejar) entre os oficiais. Ninguém é completo em si mesmo; diferentemente das disputas, carecemos do compartilhamento de tarefas, talentos e dons (Sl 113:1; At 2:44; Rm 12:6; Gl 5:20).

VS 14 ZELO PELAS ESCRITURAS

"Você está sendo enviado pelo rei e por seus sete conselheiros para fazer uma investigação em Judá e em Jerusalém com respeito à Lei do seu Deus, que está nas suas mãos".

Oficiais alinhados, responsabilidade na comunicação horizontal e temor pelo que é Santo significa que já estamos aptos para observar a palavra de Deus no que concerne às liturgias. O que pensamos a respeito da vontade do Senhor não tem muita importância, entretanto o que as escrituras já definiram com relação ao culto ao Deus todo Poderoso, é o que verdadeiramente importa. Investiguemos se os atos sacramentais estão favorecendo interesses pessoais e institucionais. E através do crivo bíblico, impedir que as vãs sutilezas sejam canonizadas. 

VERSO 15 FIDELIDADE COM OS RECURSOS

"Além disso, você levará a prata e o ouro que o rei e seus conselheiros voluntariamente ofereceram ao Deus de Israel, cuja habitação está em Jerusalém".

Cientes das necessidades básicas a que estamos sujeitos (despesas), as ofertas levantadas precisam advir de almas dispostas. A involuntariedade é sempre um peso para os reunidos; ela tiraniza quem doa e escraviza quem está exposto.

VERSO 15 PRIORIZAR O INDISPENSÁVEL

"Com esse dinheiro compre novilhos, carneiros e cordeiros, como também o que for necessário para as suas ofertas de cereal e de bebida, e sacrifique-os no altar do templo do seu Deus em Jerusalém".

Embora gostemos da incrementação cúltica, os fundamentos precisam estar no centro de nossas inclinações; eles são o alvo do nosso deslocamento e o motivo pelo qual tudo é possível. Não nos desprendemos de nossas residências para nos entreter com os adicionais de um culto, mas, de modo holístico apresentar nossa oferta de adoração a Deus. 

VERSO 18 TEMOR NO QUE FOR SECUNDÁRIO

"Você e seus irmãos poderão fazer o que acharem melhor com o restante da prata e do ouro, de acordo com a vontade do seu Deus".

Cumprido a risca o essencial, partamos para os acessórios. Saber se o meio, o método ou o modo de cultuar agrada a Deus, é sempre um desafio; ainda mais numa sociedade líquida (Bauman) - pós moderna - que não se familiariza com princípios. E como investir, de modo santo, naquilo que a bíblia não cita diretamente?

Infelizmente, ainda há muito desperdício de recursos (sacros) ofertados. A preocupação do rei com relação à vontade de Deus nos convida a repensar o modelo que usamos para investir as finanças das nossas comunidades de fé.

VERSO 25 DISCIPULADO

"E você, Esdras, com a sabedoria que o seu Deus lhe deu, nomeie magistrados e juízes para ministrarem justiça a todo o povo do território a oeste do Eufrates, a todos os que conhecem as leis do seu Deus. E aos que não as conhecem, você deverá ensiná-las".

O pragmatismo não era a linha de trabalho de Artaxerxes. Ele tinha ciência de que a obediência pressupõe saberes e conhecimentos, ou seja, quem teme a Deus se aperfeiçoa em todas as esferas do seu ser. Com a morte de Esdras o zelo pelas escrituras teria que perpetuar nas próximas gerações. Não era Esdras a referência, mas a palavra de Deus; pois ensinando ela, não tem motivo para desviar do alvo.

Diante das recomendações do rei, cabe a nós repensarmos a nossa relação com os demais irmãos; com as escrituras; com as necessidades e os suprimentos básicos de nossas comunidades; com a essência e os acessórios do culto e sobretudo com a formação dos neófitos. A carta pode ser antiga e específica, entretanto suas verdades nos edificam grandemente. É o Senhor falando pelas penas de Artaxerxes Longímanus.

Tecnologia do Blogger.